Artigos

A minha sombra

Ei-la que se move, agita os braços ou corcova diante de mim, como o espectro fatal da morte.

A MINHA SOMBRA

  


Por Henrique José de Souza


Ei-la que se move, agita os braços ou corcova diante de mim, como o espectro fatal da morte.

Se acabrunhado pelas grandes tempestades da alma, sofro e choro, ei-la que seagita a balbuciar palavras incoerentes, como se fora o meu reflexo diante de um espelho.Forma nevoenta e sombria, ela parece ser movida pelas ondas mentais do meucérebro, imitando todos os meus gestos e sentimentos.

De vida em vida, ela me acompanha, como sombra que é de minha própria criação, desde a raça mãe dos Atlantes, através dos Rmoahal, dos Tlavaltlis, dos Toltecas, dos Turanianos, dos Semitas, dos Akkadianos, dos Mongóis, passando de raça em raça até chegar aos nossos dias. À medida que me ergo do lodaçal imundo da matéria, ela vai perdendo os seus contornos, chegando ao que hoje é: farrapo humano, sombra fugidia e maldita, reminiscência de um passado funesto e horrível, embora da grandiosidade incomparável daquela raça misteriosa.A primeira vez que a divulguei nesta vida, era tão horrenda que não a conheci àprimeira vista, pensando tratar-se de uma visão ou delírio febril. 

Mas... desgraçadamente, era ela, sempre ela, a minha sombra de todos os tempos!Penalizado, procurei reanimá-la, como se fora um escultor que quisesse retocar asua obra estragada pela mão inexorável do tempo. Ergui-lhe um altar no santuário do meu lar; tratei-a e zelei-a tal como se faz com as coisas reais ou valiosas.


Um dia, ela, já possuidora de vida própria, reconheceu-me e desceu do altar,fugindo do templo... E, desde então, renovou a sua perseguição de sempre. Fujo dela; porém, ela, embora de movimentos lentos e viscosos, como uma lesma que se move sobre o solo, está sempre ao meu lado, a rir estupidamente, já não mais imitando os meus gestos e sentimentos.Que horrível e flagrante contraste! Como pode a minha sombra, já não mais imitar,nem obedecer todos os meus desejos? Será que o “Magno poder do Karma” concedeu-lhe o direito de tornar-se verdugo do seu próprio senhor? Talvez.


Creio que vós, amado leitor, não a podeis divulgar nas trevas em que ela vive. Mas eu a vejo sempre. Ei-la ali bem à frente, a mover-se na sua miséria de contornos, como um ser involuído que é. “Camafeu ridículo, mirrado e morrente, semivivo, meio defunto e meio sombra de gente”, cético e triste, como se tivera uma mente, arrastando-se cheio de dores para um túmulo precocemente aberto, pelas suas inconscientes orgias, lá se vai ela, a minha sombra na sua via crucis maldita, a rir de mim, estupidamente como se ela tivera o mesmo direito de toda a gente, de saber se eu sofro ou gozo com as suas parvoíces de invólucro vazio, sombra que se esvai aos poucos, encolhendo-se para o sarcófago frio da morte.Fantasma de uma múmia vingadora, lembra-te do passado; não sou eu a quemprocuras, mas a ti mesma, sombra maldita de outrora!Sonho aterrador, visão macabra! Foge de mim, ante o ígneo poder que semanifesta, como no passado, quando de mim quiseste fazer sombra tua.

Que pensareis vós de mim, leitor amigo, vós que não tendes sombras, senãoquando os raios brilhantes do astro rei desenham no solo a vossa silhueta humana, sombra sim, mas divina quando souberdes da minha dor perene, por não poder eu aniquilar a minha sombra, senão quando sombra jamais se fizer no meu caminho?

Publicado originalmente em Dhâranâ nºs 13 a 17 Janeiro a Maio – Abril de 1927


© Sociedade Brasileira de Eubiose ® - SBE - Todos os direitos reservados

Pensamentos

"O verdadeiro amor jamais se cansa de espalhar o bem onde quer que ele se faça necessário." Henrique José de Souza
"Grande é aquele que deseja instruir-se; maior o que se instrui; porém muito maior, o que oferece seus conhecimentos aos demais." Henrique José de Souza
"A malícia é a criadora da censura." Henrique José de Souza
"Spes messis in semine: A esperança da colheita reside na semente(Lema da Sociedade Brasileira de Eubiose)". Henrique Jose de Souza
"Vontade, Inteligência e Amor. Para a Eubiose, a harmonia destes três princípios é a base da evolução." Henrique José de Souza
"Escola, Teatro e Templo. Eis a trilogia iniciática." Henrique José de Souza
"O verdadeiro homem é aquele que não fica radicado nas mesmas idéias." Henrique José de Souza
"Não se ensina ou inicia alguém começando pelo fim, e sim, como este nome o diz, pelo começo." Henrique José de Souza
"O homem trazem si mesmo o dínamo gerador de suas dores e alegrias: a mente." Henrique José de Souza
"A aquisição da Verdade é o mais alto dos ideais humanos." Henrique José de Souza
"Um livro tanto pode ser um poderoso auxiliar como um formidável destruidor de tua mente: tem cuidado na sua escolha."   Henrique José de Souza
"A verdade não seria reconhecida se não existisse a mentira, nem o amor sem a manifestação do ódio." Henrique José de Souza  
"É dever do discípulo, por amor e respeito ao próprio Mestre, possuir a maior vigilância dos sentidos para não fazer sofrer aquele que lhe serve de guia na espinhosa vereda da iniciação." Henrique José de Souza
"O ritmo é ordem, e somente pela ordem tudo se pode alcançar." Henrique José de Souza
"A verdadeira força não é a do mar em fúria, que tudo destrói, mas do rochedo, impassível, que a tudo resiste." Henrique José de Souza
"Nos números, nos sons e nas cores estão contidos todos os mistérios da manifestação." Henrique José de Souza
" A crítica, quando despojada de seus aspectos negativos, torna-se a mais poderosa tribuna do aperfeiçoamento." Henrique José de Souza
"Toda profissão é sacerdócio ou comércio, segundo seja exercida pelo altruísmo ou pelo egoísmo."   Henrique José de Souza
"A humanidade é infeliz por ter feito do trabalho um sacrifício e do amor um pecado." Henrique José de Souza
"Eubiose é a ciência da integração do homem com o todo como fator equilibrante." Henrique José de Souza
"Muitas das leis da Natureza são tão simples que a maioria das criaturas não lhes dá a menor atenção." Henrique José de Souza
"A evolução humana jamais se faria se o Verbo se manifestasse proferindo sempre as mesmas palavras." Henrique José de Souza
"Eubiose é a ciência da vida. E, como tal, é aquela que ensina os meios de se viver em harmonia com as Leis da Natureza e, consequentemente, com as Leis Universais, das quais as primeiras se derivam. Henrique José de Souza
"Reconstruir é o brado que nos compete! Sim, reconstruir o homem, o pensamento, a moral, os costumes; reconstruir o lar, a escola, o caráter, para que o cérebro se transmude ao lado do coração. Só assim a Humanidade se tornará digna do estado de consciência que é exigido pela Nova Civilização." Henrique José de Souza
"Um verdadeiro iniciado nos grandes mistérios da vida não interpreta as coisas através da letra que mata, e sim, do espírito que vivifica." Henrique José de Souza

Agenda

Ver todo o calendário completo

Departamentos Próximos

Como participar

Escola-Teatro-Templo. O trinômio representa, em toda a sua síntese, a didática e processo de iniciação eubióticos. Aprender Eubiose é conhecer, vivenciar e vivificar.

Continua